outubro 27, 2008


Em tempo de maratona, só volto na próxima semana. Mas quero brindar com vocês ao casal que eu amo de paixão, Luna e KK. E como o amor está no ar, vamos de Lennon, Oh, my love.

outubro 21, 2008

Uma cena de Fale com ela, do mestre Almodóvar. Cucurrucucu Paloma, by Caetano. Para ouvir.

outubro 17, 2008

A básica

Em um dia que polícia bate em polícia nada melhor do que um post bem mulherzinha, não? Eu conversava um dia desses com uma amiga sobre um grande desafio no mundo feminino, quando você tem de ir "básica" a um primeiro encontro. Embora seja difícil para os homens acreditarem, há casos comprovados de chegarem a ser gastas quase duas horas nesse processo.
Para um jantar há uma infinidade de recursos que são bem aceitos sem que você abra uma bandeira inteira. Agora, um café no meio da tarde pode ser fatal. Você tem de aparentar descontração com uma pitada de ousadia e nada pode passar do ponto senão a maionese desanda. No final, você tem de dar a impressão de que sua única preocupação ao sair de casa foi não esquecer o celular.
O cabelo, meu deus, o cabelo. Provavelmente você vai gastar mais tempo com ele do que fazendo uma escova no seu cabeleiro. Mas é que o adicional "não estou nem aí" exige mais mesmo. Mas os nervos ficam mesmo à flor da pele na hora de escolher a roupa. Se está calor, talvez haja chances de um vestidinho "básico". Está certo que saber qual deles pode transformar sua vida em um inferno.
Se desistiu do vestido, você tem de dar a impressão de que pegou o primeiro jeans no guarda-roupa, quase automaticamente. Ele nem pode imaginar quantos você experimentou até achar um que mostrasse mais do que deve ser mostrado e escondesse o que deve ser escondido. Uma alquimia que pode exigir uns 15 minutos, no mínimo.
E a camiseta para combinar com esse jeans que, teoricamente, você já nem lembra mais qual é? O decote não pode ser o mesmo que você usaria em um jantar a luz de velas, claro. Mas também não dá para usar algo fechado até o pescoço. Cores fortes não são recomendadas, mas neutra demais pode te apagar. Marcar, nem pensar. Isso leva quase 20 minutos e, no final, a sua cama ficará parecendo um balcão de uma loja de roupas no final do expediente. É melhor não ter muitos planos para ela nas próximas horas.
Se já resolveu o jeans e a camiseta, parabéns. Mas ainda é preciso escolher o melhor sapato já que, de cara, você descartou o tênis. As sapatilhas acabam sendo a decisão mais acertada, mas até chegar lá foram, por baixo, mais 10 minutos. E que, claro, te obrigaram a mudar de camiseta mais algumas vezes na frente do espelho. Antes das bijuterias há ainda um outro obstáculo a ser vencido: a maquiagem. Dar a impressão de que você nem se maquiou é uma arte para poucas, eu ainda hei de aprender.
Bom, depois de tanto esforço, e quase querendo tomar outro banho, você percebe que está muuuuito atrasada e corre o risco do cara considerar que você nem vai mais. Então, é hora de disparar. O resultado é que você chega ao café, ainda tentando manter a pose, vermelha da corrida, com os cabelos começando a se desmanchar e sem nenhuma, mas nenhuma maquiagem. Ou seja, completamente "básica". Mas, afinal, não era isso que você queria?

O Joe errado
As armadilhas e o óbvio estão por todos os lugares. Não parecia facinho demais achar um Joe lá em Ohio que queria comprar uma empresa de encanamento e, assim, personificar o classe média Joe the Plumber? Mas o Joe nem é encanador e, pior, é filiado ao Partido Republicano. Ainda bem que o homem está em vantagem. E deixem o Zé Carioca em paz.

Drão
Porque tem uma das letras mais bonitas que conheço. Porque a música é linda. E porque algumas pessoas são especiais. Gil.

outubro 15, 2008

Depois que a maior diversão nas praias paulistas e avenidas cariocas passou a ser o tiroteio no próprio pé o melhor é deixar o som rolar. Sem direito a curativo porque todo mundo é grande e deveria saber o que está fazendo e falando.
Wild Wild Life, com Talking Heads and friends.

outubro 12, 2008

Circuit break

Às vezes você acha que está abafando e olha só o que acontece, um choque de realidade na sua cara. Difícil, não? Mas, pensando bem, o fato da cena original ser mais bonitinha, romantiquinha, engraçadinha, certinha, também não impediu que, no final, o barco afundasse. Foto do Kris Van Beek.

Corazon espinado

Essa baratinha que vi no blog da K não sai da minha cabeça. Mas vamos de mestre Santana com a banda mexicana Maná.

outubro 08, 2008

A física explica

Quero falar de um assunto sério, os estudos que deram o prêmio Nobel de Física para os japoneses Yoichiro Nambu, Makoto Kobayashi e Toshihide Maskawa. Mas, para isso, é preciso ir por partes, ou partículas. No primeiro estudo, o que eles propuseram foi um mecanismo para explicar o processo que é chamado de violação de CP, carga e paridade.
Voltando, antes se acreditava que após o Big Bang teria ocorrido a formação da mesma quantidade de matéria e antimatéria. Mas, se fosse verdade, uma teria anulado a outra e nada existiria. Daí descobriu-se que a simetria foi quebrada em algum momento e a cada 10 bilhões de antipartículas e partículas geradas surgia uma partícula a mais. Esse saldo foi o que possibilitou a criação do Universo.
Onde eu quero chegar nessa parte? Em um dado que os cientistas não revelaram. Cada partícula a mais que foi gerada é feminina. E isso não apenas explica muita coisa como derruba algumas teorias que têm sido passadas para nós, mulheres, há séculos. Ou seja, aquelas que dizem que todo mundo tem sua alma gêmea, há sempre a outra metade da laranja e a mais difundida na beira do fogão, toda panela tem sua tampa. Sinto muito, amigas, mas está cientificamente provado que isso não é verdade, forget about.
Mas tem um segundo estudo deles que pode explicar o que provocou toda essa alteração na formação de partículas. Trata-se da quebra espontânea quando um estado totalmente simétrico passa para um menos simétrico e com menos energia. Um exemplo pode ser um lápis girando sobre seu próprio eixo com energia e simetria. Quando ele para de girar essa simetria de direções é quebrada, ele sofre efeito da gravidade e cai para um lado. Com isso, ele terá menos energia e as partículas passam a absorver mais “pedaços do campo” e adquirem massa.
Traduzindo, de novo. Enquanto nós, partículas, estamos interagindo com nossas antipartículas a energia consumida é enorme. Mas se sairmos desse estado e entrarmos naquele gigantesco excedente paramos de rodar e ficamos com um menor nível de energia. Então, é óbvio que vamos adquirir mais massa tomando sorvete e comendo chocolate na frente da televisão no sábado à noite. Elementar, meus caros japoneses. Tivessem nos perguntado e teríamos lhes poupado anos de pesquisa.

O corpo
Com tantas notícias polêmicas deve ter passado despercebido para muita gente o artigo na página 2 do Estadão que tem o título de “Corpo esculturado, mente insana”. Fizeram bem em não ler, resumo aqui. Ele fala sobre como encaramos o corpo humano na história, passando pela promessa de ressurreição no cristianismo, a culpa na Idade Média, a guilhotina na Revolução Francesa, a revolução sexual, até chegar à insanidade atual, o culto exagerado, o desespero por cada grama a mais, anorexia e cia. Mas o melhor do artigo, que foi o que me chamou a atenção, está no pé: é assinado pelo jurista Miguel Reale Júnior.
Seguindo nessa linha, imagino que lerei um artigo do Dráuzio Varela explicando o imbróglio jurídico que a Casa Branca se meteu com os prisioneiros do Guantámano. Ou é querer demais?

Pare, olhe, escute
Uma nostalgia da brava e das boas. Stop, look, listen (to your heart) com o grande Marvin Gaye fazendo um dueto com a Diana Ross. Só tem áudio. Mas nem precisa mais, não? Ei, você, não dá vontade de dançar? Hu hu...
"Though you try, you can't hide
All the things you really feel
This time decide"


outubro 07, 2008

Pó pará

Por conta do ofício, e do vício, sou obrigada a acompanhar os sites de notícias boa parte do tempo. E meu humor sofre todo tipo de variação. Posso passar, com extrema facilidade, do riso para a incredulidade ou mesmo a vontade de chorar. Alguns títulos de hoje, dos "bizarros" aos "incríveis". E que só provam que o mundo continua executando operações ilegais e uma hora terá de ser desligado.

-- Urubu se choca com avião da Korean Air. (G1)
-- Trombada galática aborta estrelas. (G1)
-- Criminosos assaltam banco e a gramática em MS. (G1)
-- Sem conseguir sexo, homem atira no próprio braço. (G1)
-- Não tenho problema com Kaká, diz Dunga.(G1)
-- Serra apóia Kassab mas diz que não vai "meter o bico" (UOL)
-- Sobrinha de Gretchen fez pornô mas é virgem. (UOL)
-- Uma das três namoradas de dono da Playboy deixa empresário (UOL)
-- Buenos Aires veta sorteio de cirurgias plásticas em boates (Yahoo)
-- FHC diz que governo brinca de poliana na crise financeira (vários)
-- Cantora escreve sobre a dor do mundo em si (nova coluna de Daniela Mercury no iG)
-- Universo feminino: vibrador, o seu melhor amigo (iG)
-- Veneno de jararaca pode curar câncer de pele (Globo.com)
-- Atriz colombiana dá fora em Cristiano Ronaldo por achar que craque é gay (Globo.com)
-- Nova bond girl nasceu com 12 dedos nas mãos (Globo.com)
-- Soninha diz que vai apoiar Kassab em troca de projetos (Yahoo)
-- EUA vão fazer poços para imigrantes em deserto (Terra)
-- Palin pode ser parente da princesa Diana e de Roosevelt (Reuters)

Chega, cansei.

Jogue seus braços ao meu redor

Vamos para algo mais leve, mais gostoso. Throw your arms around me. Essa música belíssima é da banda Hunter and Collectors, que foi liderada por Mark Seymour. Como disse uma grande figura, a música mais bonita já composta na Austrália. Ela vai na interpretação do Eddie Vedder em show em Pistoia, na Itália. Tem uma parte da tradução, by Terra.



Eu vou me aproximar de você durante o dia
Eu escalarei a sua cama
Vou te beijar em quatro lugares
Enquanto eu nado ao redor do seu traseiro
Eu vou espremer a vida diretamente de você
Vou te fazer rir, vou te fazer chorar
E você nunca vai esquecer
Quando eu fizer você gritar meu nome para o céu azul de verão
E nós poderemos nunca mais nos encontrar
Então desarme-se, vamos começar
E você vai jogar seus braços ao meu redor

outubro 05, 2008

Navalha na liga

O aquecimento global não é nada quando comparado com a previsão do tempo para as próximas três semanas em São Paulo: ferver. Para explicar o que veremos só me vem na cabeça esse título de um livro de Alice Ruiz: navalha na liga. Só não posso dizer, oficialmente, que de todos os lados. Cumbica e Congonhas estão entre os locais que serão mais atingidos com a mudança climática e o movimento nos dois aeroportos não deverá ser pequeno. Muito peso-pesado a caminho. Só espero que, no final, tenhamos de volta aquela que traz as melhores propostas e ousa. Sempre prefiro o original. Antes do Fantástico acabar com o domingo, a cidade também recebeu outra notícia: chuchu não está dando mais nem na serra.

Rain
Antes tem R.E.M, esse sim um show que faço questão de ver e já tenho os ingressos. Mas ela também está a caminho. E para não dizer que não falei de Madonna, coloco uma das minhas músicas favoritas da megastar.